Cartão pré-pago é opção para quem tem dívidas ou não tem conta em banco

post-blog-opcao-pre-pago

Publicado originalmente em RodoNews – em 26/02/2014

Um levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), realizado no segundo semestre de 2013, revela que cerca de 54% das famílias brasileiras possuem dívidas. Nesse contexto os cartões pré-pagos no Brasil surgem como opção para quem não tem conta em banco, por ter o nome sujo ou para controlar seus gastos.
Os pré-pagos podem ter também outros usos no País. Pagar a mesada dos filhos e controlar seus gastos, presentear entes queridos, definir quanto os empregados domésticos gastarão para as compras da casa ou fazer compras pela internet sem expor os dados do cartão de crédito.
A dificuldade em conseguir crédito em banco, conta corrente e controlar os gastos para não se endividar no fim do mês dos cartões de crédito, contrasta com a facilidade do mercado devenda e controle de cartões pré-pagos, que estão disponíveis pela internet, nas gôndolas de varejistas, sejam supermercados, conveniências, entre outros.

Calcula-se que, entre 2015 e 2017, o segmento cartões pré-pagos movimente US$ 18 bilhões no Brasil

O volume seria então nove vezes maior que os atuais US$ 2 bilhões, gastos principalmente com viagens e no pagamento de refeições, segundo levantamento realizado pela MasterCard® em parceria com a Boston Consulting Group.

A Acesso, empresa brasileira especializada na emissão e gerenciamento de cartões e meios de pagamentos pré-pagos, colocou a venda nos grandes varejistas o AcessoCard, cartão de débito pré-pago. O cartão possui bandeira

MasterCard® e permite que o usuário o utilize como um cartão de débito comum, podendo pagar contas em restaurantes, realizar compras online, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>