10 Famosos Mitos Sobre o Dinheiro

_POST_BLOG_11-01_16

Postado Originalmente em queroficarrico – Por Rafael Seabra

 

Será que você acredita (ou já acreditou) em algum desses mitos?

Eu aposto que sim.

E a razão disso é que somos programados para acreditar em diversas mentiras que nos afastam da independência financeira.

Não sei se você já percebeu, mas as notícias negativas chamam mais a atenção que notícias positivas.

Por isso, costumamos acreditar, por exemplo, que só é possível ficar rico se roubarmos, já que o “telejornal de ontem” mostrou alguém sendo preso por enriquecer de maneira ilícita.

Chegou a hora de dar um basta nestas mentiras.

Vou mostrar agora 10 famosos mitos sobre o dinheiro, que extraí do livro “Os mitos do dinheiro”, de Gabriel Torres.

Meu principal objetivo é que você elimine estas crenças limitantes e consiga diferenciar as pessoas que contribuem para sua ignorância financeira daquelas que contribuem para sua educação financeira.

Mito #1 – “Dinheiro não traz felicidade”

Talvez este seja o mais famoso dos mitos.

Acredito tanto que isto é uma mentira que escrevi o artigo “Dinheiro compra felicidade”.

A lógica é muito simples.

Quando o usamos da forma correta, o dinheiro compra liberdade, e liberdade é um dos três pilares da riqueza.

E se você tem liberdade, você está muito mais apto a fortalecer os demais elementos da riqueza: saúde e relacionamentos.

Vejamos:

  • Dinheiro compra a liberdade para assistir de perto seus filhos crescerem;
  • Dinheiro compra a liberdade para perseguir seus sonhos mais malucos;
  • Dinheiro compra a liberdade para construir e fortalecer relacionamentos;
  • Dinheiro compra a liberdade para se exercitar (ou fazer o que quiser) quando você quiser, quantas vezes você quiser.

Agora pense comigo:

Alguns desses exemplos poderiam fazer você mais feliz?

Tenho certeza que sim.

Uma coisa é certa: eles certamente não trariam infelicidade.

Se o dinheiro é capaz de comprar liberdade e, com essa liberdade, podemos nos dedicar ao que realmente importa, então o dinheiro pode comprar felicidade (quando bem utilizado).

Mito #2 – “O dinheiro é a raiz de todo o mal”

Esta frase é uma interpretação – propositalmente – errada da Bíblia.

Em vários momentos da História, a Bíblia é interpretada de forma equivocada para atender aos interesses de algumas congregações.

A frase correta e original como consta na Bíblia é a seguinte: “O amor ao dinheiro é a raiz de toda sorte de coisas prejudiciais” (Timóteo 6:10).

Baita diferença, hein?!

A frase que consta na Bíblia fala do “amor ao dinheiro”, ou seja, ganhar dinheiro pelo simples prazer do dinheiro (ganância), sem qualquer meta ou objetivo de desfrutar o dinheiro acumulado.

Em outras palavras, não há problema nenhum em acumular dinheiro para um propósito específico, ter objetivos financeiros ou buscar sua independência financeira.

Além disso, quando dinheiro deixa de ser um problema, você pode ajudar outras pessoas ou simplesmente se dedicar àquele grande projeto que você sempre acreditou e nunca pode se dedicar exclusivamente a ele.

Mito #3 – “É mais fácil um camelo entrar pelo buraco da agulha do que um rico entrar no reino de Deus”

Essa é mais uma que vem da Bíblia e, quando usada fora de contexto, perde completamente o sentido.

De acordo com Gabriel Torres, o trecho da Bíblia onde esta frase está inserida (Mateus 19:24 e repetida em Lucas 18:25 e Marcos 10:25) conta a história de um jovem rico que se aproximou de Jesus e perguntou-lhe como conseguir a vida eterna.

Em resumo, Jesus respondeu que ele deveria doar tudo aos pobres, justamente para descobrir o que era mais importante ao jovem: a riqueza ou a vida eterna.

Como o jovem preferiu ficar com seus bens em vez de doar aos pobres, Jesus diz que ele não vai para o céu, que era mais fácil uma camelo passar por um buraco da agulha do que um rico, com esta mentalidade (e aqui está a importância da interpretação), entrar para o reino dos céus.

Em outras palavras, é melhor fazer algo de útil com o dinheiro acumulado (neste caso, doá-lo) do que levá-lo consigo para o caixão.

Esta frase tem sido usada propositadamente fora de contexto por determinadas congregações para convencer pessoas que ser rico é ruim e que ricos não vão para o céu.

Mito #4 – “Dinheiro é sujo”

O papel-moeda é, de fato, sujo.

Inclusive esta pesquisa comprova a contaminação de notas de real por microrganismos (fungos, bactérias e leveduras) e atesta: praticamente uma em cada três cédulas contém micróbios causadores de doenças.

Por essa razão, devemos lavar bem as mãos antes de comer, depois de ir ao banheiro e sempre que mexer com o dinheiro.

Essas normas de higiene, que nos remetem aos aprendizados de infância, mais do que nunca devem ser respeitadas.

No entanto, estamos falando do papel-moeda (cédulas) e não do conceito de dinheiro.

Por isso, acreditar que o dinheiro é “sujo” é um grande equívoco (desde que seja ganho honestamente).

Afinal, a sensação de desempenhar um bom trabalho e ser remunerado por ele é excelente! :)

Mito #5 – “A quantidade de dinheiro no mundo é limitada”

Todo conceito de algo que existe em abundância ser limitado é criado para provocar o medo nas pessoas.

E este pensamento é – matematicamente – uma falácia.

Se a riqueza do mundo fosse limitada, o mundo inteiro estaria hoje passando fome, pois nos últimos cem anos a população mundial quadruplicou e o número de ricos aumentou.

Agora pensa comigo: se a quantidade de dinheiro é a mesma e a população aumenta 4 vezes, como pode aumentar a quantidade de ricos?

É óbvio que ainda há pobreza no mundo, mas certamente não é consequência da “falta de riqueza” no mundo. A culpa é de outros fatores e não vale a pena discutir sobre isso agora.

Hoje vivemos na era da informação. Faz-se dinheiro com o conhecimento (obviamente com muito trabalho, esforço e dedicação).

E se você realmente quiser aprender a ganhar dinheiro, precisa ter isso muito claro em sua cabeça.

Mito #6 – “Os ricos tornam-se ricos às custas dos pobres”

A riqueza ou pobreza de uma nação depende, em grande parte, dos seus governantes e de suas políticas fiscais e de distribuição de riqueza.

A “culpa” da existência de países muito pobres (ou com grande desigualdade) não é do dinheiro em si, mas de governantes gananciosos e inescrupulosos, que simplesmente ignoram o povo, pensando apenas no que é melhor para o próprio bolso.

Em muitos países em desenvolvimento, a causa é cultural, e não um “fator externo”.

No caso do Brasil, por exemplo, o grande problema está em nós mesmos (brasileiros), e não em fatores exteriores.

É lamentável usar essas “frases prontas” como desculpa para justificar os nossos problemas e não colaborar para que o país mude.

E pior ainda é justificar a sua opção de permanecer no mesmo lugar, ao invés de melhorar sua saúde financeira.

Mito #7 – “Como você pode pensar em ter X quando há milhões de pessoas passando fome?”

Para pra pensar: o que uma coisa tem a ver com a outra?!

O fato de você querer viajar pelo mundo ou acumular riqueza para ser financeiramente independente não faz com que outras pessoas fiquem pobres ou passem fome.

Se você ganha dinheiro de uma forma honesta, não está prejudicando absolutamente ninguém.

E, com o dinheiro que você acumular, você certamente vai ajudar outras pessoas, direta (através de doações ou projetos sociais) ou indiretamente (pagamento de impostos, consumo e circulação do dinheiro…).

Mito #8 – “Se ficou rico é porque roubou”

Esta frase é certamente a que mais me incomoda.

Essa falácia de que só é possível enriquecer no Brasil de forma ilícita ainda é uma verdade para muitas pessoas, infelizmente.

Muita gente simplesmente não entende que aquilo que aparece na mídia é aexceção, pois notícias negativas vendem mais.

Temos uma tendência para generalizar e/ou tirar conclusões erradas.

Se aparece no jornal um indivíduo que enriqueceu ilicitamente, logo todo e qualquer rico é automaticamente ladrão, certo?

Errado!

Acredite, há inúmeros milionários no Brasil que ficaram ricos de maneira honesta. No entanto, a maioria simplesmente não quer publicidade.

Com os números assustadores da nossa (in)segurança pública, certamente não é uma decisão inteligente divulgar seu patrimônio financeiro.

Se bandidos matam gente que eles acham que são ricos a troco de nada, imagina o que eles farão se pegarem uma pessoa que eles têm certeza de que é rico?

Mito #9 – “Só ganha dinheiro quem tem dinheiro”

Como mencionei antes, nós estamos vivendo a era da informação.

Com isso, é possível fazer muito dinheiro atualmente através da venda de conhecimento (sempre lembrando que exige muito esforço e dedicação).

E o investimento inicial para adquirir conhecimento costuma ser muito baixo, sobretudo quando comparamos com o retorno.

Portanto, mais importante do que ter dinheiro para investir, é ter conhecimento sobre como investir.

Como diria Benjamin Franklin:

Investir em conhecimento rende sempre os melhores juros.

Mito #10 – “Investimento é para ricos”

Claro que não!

Qualquer um, com o conhecimento adequado, pode investir.

Existem investimentos que não demandam grandes quantias, como o Tesouro Direto, por exemplo, onde é possível investir a partir de apenas R$ 30.

E há outros que você pode fazer apenas com seu conhecimento e suor, contando com a ajuda de pessoas chave para atingir os seus maiores objetivos.

Por outro lado, existem “investimentos” criados para manter você na pobreza, como a caderneta de poupança e a maioria dos planos de previdência privada.

Explico isso em detalhes na primeira das três aulas gratuitas que você pode assistir neste link.

Conclusão – Recapitulando…

Para concluir este artigo, você precisa colocar em prática dois exercícios bastante simples.

Primeiro, você precisa criar um filtro contra esses mitos, tão alardeados por várias pessoas que nos rodeiam.

Após a leitura deste artigo fica bem fácil identificar pessoas que estão falando bobagem das pessoas que realmente têm algo relevante a compartilhar.

Segundo, e mais importante, você precisa se “desprogramar”.

Lembra que eu disse no começo deste texto que somos programados para acreditar em diversas mentiras que nos afastam da independência financeira?

Pois bem, você tem que eliminar qualquer crença limitante que você ainda tenha hoje sobre o dinheiro, das mais comuns às mais esquisitas.

Aqui está novamente a lista das crenças ou “ditos” mais comuns sobre dinheiro, para que você elimine-os de uma vez por todas da sua cabeça:

  1. “Dinheiro não traz felicidade”;
  2. “O dinheiro é a raiz de todo o mal”;
  3. “É mais fácil um camelo entrar pelo buraco da agulha do que um rico entrar no reino de Deus”;
  4. “Dinheiro é sujo”;
  5. “A quantidade de dinheiro no mundo é limitada”;
  6. “Os ricos tornam-se ricos às custas dos pobres”;
  7. “Como você pode pensar em ter X quando há milhões de pessoas passando fome?”;
  8. “Se ficou rico é porque roubou”;
  9. “Só ganha dinheiro quem tem dinheiro”;
  10. “Investimento é para ricos”.

Por fim, mas não menos importante, recomendo que você conheça o trabalho do Gabriel Torres e seu livro gratuito (Os Mitos do Dinheiro) – principal fonte deste artigo – neste link.

Agora eu tenho uma pergunta para você…

Você acreditava em algum desses mitos? Qual deles você achou mais interessante? Quais mudanças você vai colocar em prática a partir de agora?

Deixe um comentário abaixo e colabore

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>